Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

Melhores Tubos 2017

O tubo é o momento mais cobiçado do surf e Edinho Leite jura de pé junto que, com muita prática, é possível ouvir um som especial ao deslizar por dentro da onda. Mas enquanto o verão brasuca não nos brinda com uma fartura de ondas tubulares, que tal curtir os melhores canudos de 2017? 

Para encerrar a retrospectiva da última temporada do CT, o Série ao Fundo preparou uma seleção com os melhores tubos surfados na elite. 

E se picos como Teahupoo, Pipe e Fiji não apresentaram seus mares mais clássicos durante as etapas do mundial, outras locações como Jbay, Hossegor e Peniche fizeram o serviço.  

Nomes como John John Florence, Gabriel Medina e Kelly Slater, é claro, aparecem na lista. Mas alguns bons tube riders menos badalados prometem roubar a cena.

Assiste aí e vote no seu tubo favorito! 

Sarrada, pose de quebrada e os melhores (ou piores) claims de 2017

Os claims ainda são controversos no mundo surf, mas estão cada vez mais comuns nas baterias mundo afora. Se no passado muitos gringos zoavam os brasileiros que vibraram ao final de uma onda boa, hoje muitos deles não economizam em comemorações extravagantes.

Que o diga Kelly Slater, o maior de todos, que mandou logo uma "sarrada" após um tubo em Jbay. Teve gente pedindo 10, mandando banana pros juízes, comemoração em pleno voo e até o Medina com sua pose de quebrada (seja lá o que isso for).

"Parece o instagram em movimento", brincou Edinho Leite no novo episódio do Série ao Fundo, que preparou uma lista recheada dos claims mais inusitados da temporada 2017, com direito a Medina, Slater, Filipe Toledo, Jordy Smith e muito mais. Ficou curioso? Então solta o play e manda o claim! 

Melhores Aéreos 2017

Depois de relembrar as piores vacas da temporada passada, o Série ao Fundo preparou uma lista com os melhores aéreos executados no CT em 2017. 

Os aéreos já não são nenhuma grande novidade e hoje um surfista da elite é praticamente obrigado a dominar a manobra. Mesmo assim, atletas como Filipe Toledo, Gabriel Medina, John John Florence e Ítalo Ferreira continuam nos deixando boquiabertos com a altura e a plasticidade dos seus movimentos. 

Nesta seleção, tem os dois alley-oop em sequência completados com maestria por Filipinho em Jbay. Tem também a volta improvável de Medina em um rodeo flip na França. Os backside full rotation estratosféricos de Ítalo na Gold Coast e na França não podiam ficar de fora da nossa lista. 

Então pode começar a acelerar porque é hora de decolar! 

Piores Vacas 2017

O Série ao Fundo está de volta das merecidas férias! E decidimos começar o ano com o pé esquerdo, destacando o momento mais ingrato da vida de um surfista: a vaca. 

Tiago Brant e Edinho Leite fizeram uma seleção dos piores wipeouts de 2017. Tem Nazaré, Jaws e Puerto Escondido. 

O destaque internacional ficou por conta de Andrew Cotton, arremessado da onda em Nazaré. Lucas Chumbinho, que ganha cada vez mais destaque no cenário do big surf, teve duas ondas selecionas. 

Segura o fôlego e solta o play!

#01 CHEGAMOS!!!

 

No primeiro episódio da nossa Série especial sobre o Pipemasters, confira como foi a chegada da equipe à ilha de Oahu. Também entrevistamos Gabriel Medina, John John Florence, Jordy Smith e Julian Wilson sobre suas expectativas para a disputa do título
 

Medina vai pra cima no Havaí!

O que antes parecia um sonho distante agora é realidade: Gabriel Medina vai brigar pelo título mundial em Pipeline. O Brasileiro foi mais longe no MEO Rip Curl Pro Portugal que seu principal adversário, John JohnFlorence e conseguiu diminuir sua diferença com o havaiano para 3,100 pontos.

No programa desta semana, Tiago Brant, Edinho Leite e Renan Rocha analisam a performance de Medina no MEO Rip Curl Pro Portugal e suas chances de título em Pipeline. O Brasileiro foi mais longe campeonato que seu principal adversário, John JohnFlorence, e diminuindo sua diferença com o havaiano para 3,100 pontos.

O SAF também destaca a difícil condição do mar no primeiro dia de competições e as  boas performances de Miguel Pupo nas etapas da Europa.

Ainda sobre os concorrentes ao título, Renan tem uma teoria sobre os motivos dos recentes resultados ruins de Jordy Smith e o trio tenta entender o que houve com John John na bateria em que foi eliminado.

No ranking de palpites dos apresentadores, Tiago dispara na frente e Edinho segue em sua meta de não acertar nenhuma aposta. Para os internautas, o resultado do campeão de paçpites da perna europeia, premiado com uma prancha novinha.

Agora é a hora, Medina!

A vitória de Gabriel Medina na França apimentou de vez a corrida pelo título mundial.   No Série ao Fundo, Renan Rocha e Tiago Brant analisam a performance do brasileiro que apresenta um domínio raro sobre as ondas de Hossegor, já são 5 finais na etapa francesa. 

E o último evento teve de tudo! Tubos improváveis, surfe de borda e aéreos incríveis, como o backside Full Rotation estratosférico de John Florence e um Rodeo Flip completado de forma impressionante por Gabriel Medina. 

Mais uma vez, os resultados começam a aparecer para Medina no segundo semestre. Na corrida pelo bi, o brasileiro depende de maus resultados do agora líder John John Florence e do sul-africano Jordy Smith. Para Renan Rocha, o título ainda é possível e agora é hora de Gabriel crescer. 

O SAF ainda traz as expectativas para a etapa de Portugal, que começa no final desta semana e vai preparar terreno para a grande decisão no Havaí.

Então rema, porque vem Série ao Fundo! 

França imprevisível

Série ao Fundo comenta as particularidades das ondas da região de Hossegor

Tubo casca grossa ou manobras? Aregião de Hossegor, com alguns dos melhores beach breaks do mundo, oferece as duas opções. Renan Rocha e Edinho Leite comentam as dificuldades que os surfistas enfrentam na etapa francesa, ressaltando a necessidade de um quíver variado, com pranchas para as diferentes condições que o mar pode apresentar


A França também é um teste mental para os atletas, com o costume de diversas chamadas para a competição dentro do mesmo dia. Além disso, uma vida noturna agitada que pode derrubar os menos concentrados da prancha.

Com Jordy Smith desgarrando do resto na disputa pelo título mundial, a etapa é fundamental para quem ainda deseja o caneco. Nossos comentaristas ressaltam a dificuldade de apontar favoritos devido à variabilidade das condições do mar.

E ainda tem prêmio para os fãs. Quem fizer mais pontos somando as etapas de França e Portugal vai ganhar uma prancha da Black Box Surfing.

Então... Allez! Allez! Vem Série ao Fundo!

Dobradinha brasileira em Trestles

Série ao Fundo analisa as vitórias de Filipe Toledo e Silvana Lima na Califórnia

Há alguns anos Filipe Toledo já vem apresentando um surfe praticamente imbatível em ondas pequenas e um título em Trestles era só questão de tempo. No Série ao Fundo, Edinho Leite destaca que a estratégia de Filipinho foi completamente diferente da escolhida por Jordy Smith na grande final californiana. Enquanto o brasileiro se mantinha ocupado, dando um show de surfe em valas intermediárias, o sul-africano aguardava pacientemente pelas melhores com a prioridade. Já Renan Rocha acredita que a vitória com esta tática só foi possível porque Filipe é o único que arranca boas notas em ondas aparentemente de pouco potencial. Isso porque, segundo Renan, o brazuca surfa com extrema velocidade e fluidez, conectando manobras e abusando da criatividade.

Outro brasileiro que se destacou foi Adriano De Souza, parado nas quartas de final por Ace Buchan, resultado que Tiago Brant considerou injusto.

A corrida pelo título mundial também é assunto no Série ao Fundo. E se antes de Trestles o ranking estava bem embolado, Jordy Smith e John John Florence acabaram desgarrando do pelotão da frente com os ótimos resultados conquistados na Califa. A etapa também complicou a situação de Gabriel Medina, que parou no round 3. 

Já no feminino, Silvana Lima derrotou gigantes no caminho até a final, venceu Stephanie Gilmore 3 vezes e quebrou um tabu de sete anos sem faturar etapas do CT. Renan Rocha e Edinho Leite analisam o surfe progressivo da brasileira, enquanto Tiago Brant relembra as dificuldades vividas pela cearense que chegou a correr algumas temporadas do circuito mundial sem patrocínio. 

Tudo isso e muito mais no Série ao Fundo. Rema!

Pode isso? Medina e Julian Wilson fazem final tensa no Tahiti - Série ao Fundo #37

Não faltou tensão no Taiti. Só que dessa vez as bombas amedrontadoras de Teahupoo não foram o motivo. Em uma etapa de ondas sem muito tamanho, o que chamou a atenção mesmo foi a animosidade entre os surfistas. 

A grande final entre Gabriel Medina e Julian Wilson começou com uma disputa agressiva pela prioridade e terminou com a virada do australiano para cima do brasileiro, que já vinha de baterias tensas contra Kolohe e Wilko nas fases anteriores.

Apesar da derrota na decisão, Medina garantiu mais um bom resultado e subiu para a sétima posição do ranking, mantendo vivo o sonho do bi. 

Aliás, na etapa no Taiti tivemos mudanças na liderança do circuito. Matt Wilkinson perdeu a lycra amarela para o sul-africano Jordy Smith, terceiro colocado no evento. Com 7 etapas realizadas e nenhum vencedor repetido no ano, a corrida pelo título segue imprevisível e empolgante.

Tudo isso e muito mais você confere no Série ao Fundo. Então rema!

Olha a bomba! Show de surf e ferimentos graves em Teahupoo

O circuito mundial da WSL chega em sua etapa mais incrível e também mais assustadora: Teahupoo

As bombas Taitianas prometem ser decisivas para o título mundial. Wilko e John John Florence, Jordy Smith, Owen Wright e Adriano de Souza seguem cabeça a cabeça na briga pela liderança. Conhecedor dos tubos da "praia dos crânios quebrados", Gabriel Medina parece ter recuperado sua forma e também promete dar trabalho.

Renan Rocha ainda conta histórias dos primeiras competições realizadas em Teahupoo e relembra os perigos de cair na rasa e afiada bancada de coral

E os fãs dos canal tem uma novidade nessa etapa: quem der o palpite vencedor para os quatro primeiro colocados vai poder encomendar uma prancha de surf cortesia da BlackBox Surfing.

Quer ficar sabendo de tudo antes da etapa e ainda concorrer a uma prancha? Então rema, que vem Série ao Fundo!

Regras do Ranking

Conheça as regras para participar do Ranking do Série ao Fundo e concorrer a prêmios irados!

Regulamento

1. Para participar, inscreva-se no nosso canal e ative as notificações para receber um alerta toda vez que tiver vídeo novo. Dar um like nos vídeos também não vai fazer mal nenhum! ;) Além de curtir nossa página no Facebook https://www.facebook.com/serieaofundo/ e nos seguir no Instagram https://www.instagram.com/serieaofundo/

2. Os palpites devem ser postados nos comentários do Youtube, sempre no Série ao Fundo Debate que precede a etapa. Apenas comentários no vídeo em questão serão validados no ranking.

3. Você deve escolher 4 surfistas finalistas da etapa, ou seja, o campeão, o vice e dois terceiros colocados. Exemplo: 1. Gabriel Medina 2. Adriano de Souza 3. Filipe Toledo 4. Ítalo Ferreira. 

4. É proibido repetir surfistas. Ex: 1- Mick Fanning 2- Mick Fanning 3- Mick Fanning 4- Mick Fanning.

5. É válido apenas um palpite por pessoa/perfil. Em caso de dois ou mais, o primeiro a ser feito pelo usuário é o que será contabilizado.

6. Pontuação

a) Se acertar a exata posição do campeão da etapa = 40 pontos

b) Se acertar a exata posição do vice-campeão da etapa = 30 pontos

c) Se acertar a exata posição do terceiro colocado da etapa = 20 pontos. Se acertar os dois terceiros colocados na exata posição, a pontuação é cumulativa. 

d) Se acertar um surfista entre os 4, mas não na exata posição = 10 pontos. Se acertar mais que um correto entre os 4, a pontuação é cumulativa. 

7. Os palpites podem ser feitos até o momento em que o campeonato começar. Após o início do primeiro round, eles não valem mais.

8. Procure colocar os nomes dos surfistas de um forma clara, pois se a organização do programa não puder entender a quem você se refere, o palpite pode ser computado incorretamente e não nos responsabilizamos por erros neste caso.

9. Não esqueça de indicar com números qual surfista representa qual colocação. Caso o palpite não venha acompanhado das respectivas posições (1º, 2º, 3º e 4º ou Campeão, Vice e Terceiros colocados), usaremos a seguinte lógica: O 1º  nome escrito representará o campeão, o 2º o vice, o 3º um dos terceiros colocados e o 4º o outro terceiro. Demais nomes serão descartados, já que o palpite é válido apenas para os 4 primeiros colocados na etapa.

10. Não será permitido editar o comentário com o palpite. Pense antes de postar e só comente quando tiver certeza! O problema da edição é que os palpites serão importadas para nossa plataforma de ranking, e isto pode ser feito a partir do momento que o internauta postar o comentário. Portanto, não será possível saber se o palpite foi passado ou não antes da edição. E depois, caso o internauta edite o comentário e o primeiro que ele fez for o vencedor, a equipe SAF não conseguirá tirar print do comentário e mostrar no programa. Logo, se o comentário for editado, a organização não se responsabiliza por erros e trocas nos palpites.

11. A única forma que temos para te identificar é o nome e o URL do seu canal. Portanto, se você mudar o nome ou o URL não teremos como saber que você é você, e seus palpites passarão a aparecer como outro perfil em nossa plataforma. O problema disso é que pontos que você somou com o outro nome/URL não se somarão ao pontos que você ganhar depois que trocar o nome/URL. Portanto, se por acaso você precisar trocar o nome ou o URL nos avise! Deixe em um comentário no programa dizendo o nome/URL antigo e para qual você trocou, assim podemos cadastrá-lo em nosso sistema com o nome novo e somar os pontos antigos.

12. A premiação poderá ser feita para o líder do ranking, o líder da etapa ou qualquer outro critério utilizado pela organização. Em caso de empate, o primeiro critério é quem acertar o maior número de surfistas entre os 4, depois a posição no ranking geral (caso a premiação seja para o vencedor da etapa) e por fim a quantidade de participações (palpites) na história do programa. Caso o empate persista, um concurso cultural será realizado apenas com os empatados que terão que escrever uma frase criativa dizendo por que merecem o prêmio. A produção entrará em contato respondendo o comentário aqui mesmo no youtube (então fique ligado!) e os candidatos terão que escrever a frase em um comentário. O vencedor será aquele que angariar mais curtidas em sua frase postada.

13. A premiação será enviada apenas para endereços dentro do território nacional e do fornecedor. Portanto, colocaremos o vencedor em contato direto com o fornecedor e ele deve passar todas as suas informações de maneira correta para a marca.

14. O contato com o vencedor será feito através da plataforma do YouTube. Nossa equipe responderá o próprio comentário em que o usuário fez o palpite e solicitará um email de contato para combinar os detalhes da entrega. Caso o mesmo não responda a mensagem em até 3 dias após o anúncio do vencedor no programa, o prêmio irá para o segundo colocado, e assim subsequentemente. Então fique ligado aqui no Youtube! O anúncio do novo vencedor (além do contato via Youtube) será feito através da plataforma do Facebook, no endereço virtual: www.facebook.com/serieaofundo/ e no Instagram www.instagram.com/serieaofundo/, então não esquece de nos seguir nas redes sociais!

15. Você pode acompanhar o ranking geral em nosso site https://www.serieaofundo.com/ranking

 

Ao participar do Ranking e dar seus palpites nos comentários em nosso canal, você declara que leu e concorda com os termos acima.

Boa sorte em seus palpites!

Jbay nota 10! Tubarão, barco surfista e Toledo campeão

Aetapa de J-Bay teve de tudo! Altas ondas, manobras alucinantes, aéreos estratosféricos, dois tubarões e até barco surfando! 

E a semana épica de surfe na África de Sul terminou com o incontestável título de Filipe Toledo, que fez linhas nunca antes vistas nessa onda.

No Série ao Fundo, Renan Rocha, Edinho Leite e Tiago Brant comentam os principais acontecimentos da etapa e analisam o surfe de alto nível apresentado pelos principais nomes do circuito, como Gabriel Medina, John John Florence, Jordy Smith e Julian WIlson.

Mas também teve rookie surpreendendo ao derrubar gigantes. O vice-campeão Frederico Morais fez bonito e mostrou mais uma vez que seu frontside em ondas consistentes pode eliminar qualquer surfista do tour. O português foi autor inclusive de uma nota 10. Mas não só ele.

Só neste evento, os juízes soltaram a nota máxima 8 vezes! Banalizou ou os caras estavam quebrando mesmo?

Perdeu a etapa? O Série ao Fundo te coloca a par de tudo. Assistiu? Então você sabe que foi irado e que vale a pena rever.

Rema!

J-Bay: A onda mais difícil para os goofies?

Palco da próxima etapa do CT, as direitas extensas de Jeffreys Bay impressionam pela perfeição nos dias clássicos. Sonho para uns, pesadelo para outros.

No novo episódio do Série ao Fundo, Renan Rocha revela as dificuldades que os goofies encontram nessa onda e explica porque muitos a classificam como a mais difícil do circuito. Conheça as diferentes seções e quem são os favoritos por ali para fazer um boa aposta nessa etapa!

Nosso trio também tem dicas para os dias em que Jbay não funciona. A vivência na África do Sul envolve safaris, cinemas caseiros e um tour por outras ondas mágicas, como a de Cape St. Francis, revelada ao mundo no clássico filme Endless Summer.

Comece a remar, porque vem Série ao Fundo!

Fiji derruba favoritos! Matt Wilkinson é líder de novo

A etapa de Fiji pode não ter apresentado ondas clássicas como em anos anteriores, mas proporcionou zebras incríveis e bagunçou de vez o ranking do CT.

Com a maioria dos "big names" caindo no round 3, o caminho ficou aberto para Matt Wilkinson, que faturou a etapa e retomou a lycra amarela praticamente um ano depois de tê-la perdido.  

Renan Rocha, Edinho Leite e Tiago Brant analisam a evolução do surfe de Wilko também de frontside e afirmam que o australiano já não pode mais ser considerado zebra. Neste ano, o "Siri Salsicha" (como é carinhosamente apelidado pelo trio) já tem uma vitória, um vice e uma terceira colocação.

O Série ao Fundo também destaca o desempenho de alguns rookies que ainda estavam devendo, como os europeus Leo Fioravanti e Joan Duru, além da importância do técnico Luke Egan para o resultado do vice-campeão Connor O'Leary. 

Ítalo Ferreira quer voltar em Fiji

Italo Ferreira já está surfando e não vê a hora de voltar a vestir a lycra de competição. Ao lado de seu treinador Luiz Campos "Pinga", o potiguar não fugiu das perguntas do nosso trio e demonstrou a mesma personalidade que vemos nas baterias do circuito mundial.

A conversa teve como tema principal a recuperação da lesão no tornozelo sofrida pelo surfista em março, durante a perna australiana. Italo teve 9 semanas intensas de recuperação e acredita já estar pronto para voltar na próxima etapa, em Fiji, uma de suas ondas prediletas.

Descontraído, o potiguar explicou a onda de Cloudbreak e revelou como conquista espaço no concorrido lineup. As estratégias necessárias para controlar seu surfe explosivo e bater de frente com os melhores do mundo também foram analisadas pelo surfista e seu treinador.

E é claro que o top entrou na brincadeira junto com os comentaristas e fez suas apostas para a etapa de Fiji. Será que ele se escalou?

Italo ainda revelou um segredo que nem seu técnico Pinga sabia. Ficou curioso?

Não vai subir ninguém! Mineiro é campeão em Saquarema

Boas ondas, show de surfe, praia lotada e título brazuca! Poderia ser melhor?

No novo episódio do Série ao Fundo você revê tudo o que rolou na etapa brasileira do CT, com as análises e comentários de Renan Rocha, Edinho Leite e Tiago Brant.

O trio destaca, claro, a impressionante campanha de Adriano de Souza, campeão invicto em Saquarema, chamando atenção para as mudanças e a evolução no surfe de Adriano de Souza desde o título mundial de 2015.

A grande revelação do campeonato também é destaque no Série ao Fundo. Com um surfe progressivo e muita confiança, Yago Dora surpreendeu a todos ao deixar vários campeões mundiais pelo caminho. O jovem wildcard derrotou John John Florence, Gabriel Medina, Mick Fanning e só parou em Mineiro na semi.

Teve polêmica envolvendo Filipe Toledo e mudanças na corrida pelo título, que agora tem três surfistas perseguindo o líder John John Florence de perto.

É muito assunto, brô. Então começa a remar, porque vem Série ao Fundo!

Saquarema: onda mais pesada do Brasil?

A corrida pelo título mundial começou a se desenhar na perna australiana, mas tudo pode mudar com a chegada do circuito ao Brasil, primeiro beach break da temporada. 

A partir de 9 de maio, os melhores surfistas do mundo entram em ação nas ondas de Saquarema, grande novidade do tour em 2017 e palco histórico do surfe nacional. 

Nesta edição do Série ao Fundo, Tiago Brant, Edinho Leite e Renan Rocha analisam as características das diversas ondas de Saquarema, já que a competição pode rolar em três picos diferentes: Itaúna, Vila ou Barrinha. 

Seja qual for a localidade escolhida pela WSL, devemos testemunhar um show de surfe pesado nas bombas que são classificadas por muitos como as mais pesadas do Brasil. 

Caio Ibelli derruba gigantes, mas Jordy Smith toca o sino em Bells Beach

No novo episódio do Série ao Fundo, o trio mais entrosado da mídia nacional analisa a vitória contundente do sul-africano Jordy Smith, que chegou a comemorar o título antes mesmo do fim da bateria decisiva.

Tiago Brant, Renan Rocha e Edinho Leite também falam sobre o excelente vice-campeonato de Caio Ibelli. Rookie of the Year no ano passado, Caio derrubou gigantes, entre eles o atual campeão mundial e líder do circuito John John Florence, em uma virada espetacular na última onda. O brazuca fez seu melhor resultado na elite e já começa a consolidar seu nome entre os tops dos tops.

Outro que roubou a cena com um show de surfe foi o rookie havaiano Ezekiel Lau. Aliás, quase roubou também uma onda de Filipe Toledo, em uma polêmica de interferência que gerou muita discussão.

Polêmicas à parte, Filipe Toledo foi mais uma vez incontestável. Fez a única nota 10 do evento e chegou mais uma vez às quartas.

Os “upsets” foram as saídas precoces de Kelly Slater e Gabriel Medina, ambos derrotados no round 3.