Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

Altos tubos em Kirra, novos talentos e velhas polêmicas

A temporada 2018 do CT começou cheia de surpresas na Gold Coast! Julian Wilson, que quase ficou de fora do evento por conta de uma lesão, acabou no lugar mais alto do pódio depois de um dia de altos tubos em Kirra. O australiano -que agora é papai- declarou ter entrado na competição sem grandes pretensões e essa vibe mais relax parece ter jogado a seu favor. 

O aussie foi o único dos surfistas mais badalados a figurar entre os quatro primeiros colocados. Na Gold Coast, foram os novatos que roubaram a cena. 

Entre os brazucas, Tomas Hermes foi quem chegou mais longe na competição e só não fez a final por décimos, em uma bateria marcada por um julgamento polêmico. 

O jovem Michael Rodrigues também impressionou. Surfou com personalidade de veterano e apresentou de vez ao mundo seu surf explosivo, veloz e de muito repertório. 

Mas não foram apenas os estreantes brasileiros que se destacaram na Gold Coast. Griffin Colapinto fez baterias excelentes tanto em Snapper quanto em Kirra, onde se consagrou com uma nota 10 depois de entubar 3 vezes na mesma onda. 

Mickey Wright foi o matador de gigantes. Eliminou John John Florence no round 2 e Gabriel Medina no round 3. O surf estiloso e a atitude mais soul sobressaíram-se no ambiente cada vez mais profissional (leia-se robótico) da WSL. 

Filipe Toledo puxou a fila em praticamente todos os dias de competição em Snapper Rocks, não segurou o pé no surf progressivo, mas acabou parando nas quarta-de-final. 

Tudo isso e muito mais no Série ao Fundo!