Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

Me engravida Owen Wright!

Um retorno emocionante! Depois de meses sem surfar e mais de um ano sem vestir a lycra de competição, Owen Wright fez história na Gold Coast.

Com um backside afiado e uma linha que combinou fluidez e surfe power, o australiano superou seus medos e superou gigantes para chegar às baterias finais em Snapper Rocks. Deixou Gabriel Medina pelo caminho antes de encontrar o melhor amigo Matt Wilkinson na grande decisão. 

Wilko, aliás, mais uma vez foi destaque surfando de back. Base/lip em todas as ondas, linkando as manobras, chutando a rabeta. O estilo do australiano ainda tem seus críticos, mas já não parece sensato questionar a presença de Wilkinson na briga lá no topo do ranking. 

Gabriel Medina e John John Florence, que puxam a fila da nova geração, fizeram uma terceira colocação que será mantida ao final do ano. Os dois foram os surfistas que mais andaram ao longo de todo o evento, fazendo grandes somatórias e passando baterias com uma tranquilidade estóica. O brasileiro deu um susto quando sentiu o joelho depois de um aereo ainda no início da competição, mas mostrou-se plenamente recuperado nas baterias seguintes.

O evento na Gold Coast marcou um espécie de "Revolução dos Goofies", já que 3 dos 4 finalistas surfavam de backside nas direitas de Snapper, uma onda conhecida por favorecer os regulares e onde só 3 Goofies haviam vencido em toda a história. Owen Wright foi o quarto campeão goofy do evento, sendo o terceiro consecutivo (Medina 2015; Wilko 2016).

Ainda no Série ao Fundo, Renan Rocha e Edinho Leite apuram as apostas da etapa. Quem levou a melhor? 

E qual foi a manobra do evento? O full rotation gigantesco do Ítalo? O reverse capotado de Wilko? Assista e vote!