Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

Técnico de futebol e apaixonado por surfe, brasileiro auxilia surfistas no US Open

WhatsApp Image 2018-08-04 at 13.16.47 (1).jpeg

Daniel Musatti mora há mais de 10 anos na Califórnia (EUA) e trabalha nas categoria de base do clube de futebol FC Golden State. Porém, ele também é um amante do surfe e vem auxiliando surfistas de alto rendimento.

Musatti já trabalhou com surfistas costarriquenhos e peruanos e deu suporte para Tomas Tudela e Jhonny Guerrero, ambos do Peru, na disputa dos US Open nesta semana.

“O grande objetivo é superar as dificuldades que os surfistas de países que não são da Austrália e Estados Unidos têm em poder surfar constantemente as melhores ondas, sendo treinados pelos melhores treinadores. Eles aprendem diariamente e são inseridos no ambiente do melhor nível possível”, disse.

“Quando o surfista chega aqui, o nosso conceito é que ele se sinta em casa desde o aeroporto. É abrigá-lo aqui na Califórnia como se eles estivessem em casa e providenciar para ele a melhor qualidade de todos os serviços: a parte organizacional, o treinamento físico e funcional, uma dieta balanceada e o trabalho mental com a psicologia esportiva. E tudo isso na mesma casa onde ele fica”, acrescentou.

WhatsApp Image 2018-08-04 at 13.16.47.jpeg

Vale ressaltar que a função dele não é auxiliar em todos os fatores importantes que acontecem fora d’água.

“O conceito é trabalhar o aumento da performance do surfista através do suporte em todas as áreas necessárias, mas não a técnica. Não somos treinadores da parte técnica, e sim trabalhamos em conjunto com treinadores da parte técnica”, explicou.

O projeto começou no Havaí em 2015-16 como forma de teste. Agora, Daniel chegou ao modelo ideal para auxiliar os peruanos no US Open. Na sequência, ele também trabalhará durante a Tríplice Coroa, no Havaí, no fim do ano.

“Para surfistas de alguns países sem muita tradição, períodos de treinamento assim valem muito e fazem com que eles evoluam não só o surfe, como também o esporte nos países deles. Tudo leva à evolução do surfista, do esporte no país e gera a criação de eventos”, declarou Musatti.