Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

ERA UMA VEZ EM LOWER TRESTLES...

Sexo, drogas e rock'n roll. A década de 60 nos Estados Unidos foi marcada pelo crescimento de dois grupos bem diferentes: o movimento hippie e o alistamento militar. Um ponto de encontro entre quem queria guerra e paz foi Lower Trestles. Desde o final da 2ª Guerra Mundial, a praia é parte de uma base militar. Ou seja, surfar no território da Marinha só com uma boa estratégia de fuga. Como a fissura era maior do que castigo a se cumprir, era normal ver surfistas fugindo do patrulhamento. A disputa entre os lados parecia não ter fim. Foi aí que apareceu a pessoa certa na hora certa. 

 Observe que a área da Base Militar cobre sete praias do sul da Califórnia. Trestles é a segunda.

Observe que a área da Base Militar cobre sete praias do sul da Califórnia. Trestles é a segunda.

Em 1970, o presidente Richard Nixon assinou um decreto permitindo acesso ao público em parte dos 122 mil hectares do Parque Militar. Se você pensou que essa foi uma atitude eleitoreira, se enganou. Nixon era um ilustre morador da região, que fez da sua casa (na praia de Cottons) aquilo que chamariam de “escritório ocidental” do presidente. 

De lá pra cá o surfe evoluiu, mas sempre seguindo as tendências que saíam de Trestles. Nos EUA, o primeiro formato da bateria homem a homem foi testado (e aprovado) na maior base militar em território americano. E com um evento que tem Michael Ho como primeiro campeão e civil a surfar (oficialmente) aquela onda, a história não poderia acabar mal. 

Não só deu certo, como sucedeu uma geração incrível de surfistas. A história continua com Tom Curren e chega ao ápice com seu pupilo. Kelly Slater tem uma conexão extremamente forte com a praia. Afinal, ali venceu seu primeiro torneito como profissional (Body Glove Pro), assinou seu primeiro contrato e quebrou o recorde de 43 vitórias (2010) no sul da Califórnia. 

O surfe venceu uma batalha contra a censura. O resultado dessa vitória você consegue ver durante toda essa semana na ESPN+, WatchESPN ou na worldsurfeleague.com.br