Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

DROP CERTO! PIPELINE CHAMA...

A cada etapa que chega, os fãs de surfe entram na mesma discussão: Quem vai se dar bem nesse evento? Quem eu coloco nos meus palpites? O Série ao Fundo apresenta uma lista com os surfistas que têm tudo para quebrar no Havaí e fazer você quebrar nas suas apostas. Este é o Drop Certo!

:: PIPELINE ::

O palco da última etapa do Mundial é a mais aguardada por todos que amam o surfe. Aguardada e temida, por conta dos afiados corais logo abaixo da superfície da água. As ondas que quebram pra direita são chamadas de Pipeline, enquanto as esquerdas são denominadas Backdoor. A formação do pico proporciona rápidos e perfeitos tubos para os dois lados. Mas nos últimos anos também vimos mares pequenos e até os aéreos chegaram a ser considerados quando as condições não estavam boas. Mas são os tubos que interessam para arrancar boas notas dos juízes.

Todos os olhos estarão voltados para a briga pelo título mundial entre John John Florence, Gabriel Medina, Jordy Smith e Julian Wilson. Entre eles, o brasileiro é o único que chegou a duas finais, em 2014 e 2015, além de também ter feito um 5º e um 9º. Correndo em casa, John John tem o vice de 2013 como melhor resultado em seu quintal. Em três oportunidades, JJ parou nas quartas. O restrospecto de Jordy não é dos melhores e o 5º lugar do ano passado é sua melhor marca. Precisando de uma grande combinação para conquistar o mundial, Julian venceu em Pipe em 2014, batendo justamente Medina em uma polêmica final.

 7 motivos para acreditar em Kelly: 1992, 1994, 1995, 1996, 1999, 2008 e 2013 (foto)

7 motivos para acreditar em Kelly: 1992, 1994, 1995, 1996, 1999, 2008 e 2013 (foto)

O maior vencedor do Pipe Masters é Kelly Slater com 7 títulos, sendo o primeiro em 1992 e o último em 2013. O "Mestre dos Magos" está de volta ao tour depois de quebrar o pé e ficar fora de quatro etapas. Não é preciso dizer que nunca se deve duvidar dos poderes de Kelly.

Dois australianos mais do que experientes que também conhecem bem o pico são Josh Kerr e Mick Fanning. Josh foi vice em 2012 e nos últimos três anos foi 3º, 5º e 5º. Mick tem no currículo a final de 2005, além de duas semifinais em 2013 e 2015.

 Ele já comemorou 3 títulos mundiais na Rainha dos Mares. Será que vale a aposta? 

Ele já comemorou 3 títulos mundiais na Rainha dos Mares. Será que vale a aposta? 

Entre os brasileiros, Adriano de Souza é o único a ter vencido no Havaí, justamente em 2015, ano em que conquistou seu título mundial.

Em franca evolução em ondas mais pesadas, Filipe Toledo foi 5º em 2014 e 9º na última temporada. Miguel Pupo não foi bem nos últimos três eventos em Pipeline, mas fez um 5º em 2012 e um 9º no ano seguinte. Nenhum dos outros integrantes da Tempestade Brasileira passaram do Round 3.

Você apostaria nesses homens? Em uma final? Em Pipeline? 2016 foi só surpresa no Havaí

No ano passado, com o campeonato já decidido, Michel Bourez bateu Kanoa Igarashi na final. Entre os outros surfistas da atualidade, Joel Parkinson venceu em 2012, Jeremy Flores em 2010.

1207_bededurbidge.jpg

 ZEBRA

Bede Durbidge venceu em 2007.

Sua última etapa antes de guardar a lycra, o simpático australiano é a zebra que o Série ao Fundo aponta para se despedir em grande estilo

#GoBede

Guilherme Daolio é um jornalista que gosta daquele estilo clássico e tradicional, com as linhas extensas e bem desenhadas. Mas também está sempre de olho nas inovações e tenta sempre colocar o estilo progressivo para falar com todos os públicos. Guilherme é editor de texto e cuida dos esportes radicais na ESPN Brasil.