Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

TBT - PIPELINE É O CALDEIRÃO!

Sabe aquele dia que a saudade bate? Muita gente chama de Throwback Thrusday ou #TBT . No surfe é quase isso: apresentamos o nosso #TBT - Throw Back on TOUR

Esqueça 2016. Ali não valia título e o tal commitment (tão cobrado pelo juízes) veio da parte de baixo do ranking. O cenário de calmaria, com surfista de camisa amarela comemorando com a taça mão, não combina com Pipe Masters . Se no ano passado o clima era de festa na areia de Pipeline, antes mesmo de entrar na água, o TBT dessa semana relembra as melhores edições de Pipe Masters dos últimos tempos. REEEMA!

::2015::

O que você faz quando tem que dar 1 troféu e tem 6 caras pra receber? Com esse recorde entre os concorrente ao título, começou PipeMasters. Do primeiro ao sexto do mundo, todo tinham chances de vencer: Mick Fanning, Filipe Toledo, Adriano de Souza, Gabriel Medina, Owen Wright e Julian Wilson. Mas só metade do grupo passou às quartas. A disputa ficou emocionante com o nosso Capitão Nascimento crescendo na competição e a finalização de Medina contra Fanning foi o decreto de que o mundo era do mais casca grossa. A final serviu para Adriano lavar a alma: título da temporada e vitória da etapa. Tudo isso na rainha do Hawaii. Que momento!

2015 - FINAL - Adriano de Souza x Gabriel Medina

 

::2014::

Esse título merece um capítulo inteiro. Por ora, daremos só uma primeira laminação:

O título chegou incerto e só Gabriel Medina e Mick Fanning, que dividiam a mesma casa, poderiam conquistar. Dias e dias sem uma boa previsão até o incrível 19 de dezembro, com tubos em Backdoor. Eis que entra em cena o improvável: um mar terrível, que garantiu a (baixa) média de 2,34 da bateria e a eliminação de Mick Fanning por Alejo Muniz. Coube a Medina passar por Josh Kerr na semifinal (tensa) e gritar “é campeão” EM PORTUGUÊS, pela primeira vez na história. A final foi a cereja do bolo deste Pipe Masters: Julian Wilson entrou para garantir a Tríplice Coroa havaiana e abriu a bateria com um 9,93. Medina respondeu com a única nota de 10 daquela edição. O aussie respondeu com mais uma nota 9 e levou a etapa. Gabriel ficou com o resto do mundo. 

2014 - FINAL - Gabriel Medina x Julian Wilson 

::2013::

Se você já acompanha o surfe por algum tempo (desde a era Pré Medina) sabe que essa edição do Pipe Masters foi um ponto alto do surfe. Sabemos que Pipe Masters pode oferecer até três títulos: campeão da etapa, do Triple Crown e, eventualmente, da final. Entre os quatro primeiros, só Joel Parkinson voltou pra Austrália com as mãos abanando. John John ficou com a Tríplice Coroa, como um prêmio de consolação para quem teve suas as notas subestimadas. Do outro lado, Kelly Slater levou o título e fez tanta história em uma onda quanto Mick Fanning com o título de 2013. 

2013 - FINAL - Kelly Slater x John John Florence

::2012::

A vitória de Joel Parkinson não começou neste ano. Foram necessários quatro vices (2002, 2004,2009 e 2011) para o australiano conquistar a rainha do Hawaii e, de quebra, levar o título pra casa. O outro candidato a título era Kelly Slater. Um ‘senhor’ de 40 anos, sedento pelo 12˚ título mundial. Só não avisaram a Josh Kerr. Aliás, a performance do aussie contra o mago careca nas semifinais foi muito bem explicada por seu compatriota (e campeão):

“Quando o Kerr pegou aquele tubo no início, senti um negócio como se fosse vomitar e não consegui controlar minhas emoções naqueles momentos finais. Foi tudo muito louco”

E o que o Parko fez o quê em retribuição? Escovou o algoz de Kelly e fator decisivo pro seu título. Parabéns Joel!”

2012 - FINAL - Joel Parkinson x Josh Kerr

Viu? É tanta história que, só com esses capítulos escritos dentro da água, faríamos um best-seller! Agora você acredita que o Billabong Pipe Masters – 2016 foi uma exceção?