Série ao Fundo

Do outside para o inside da sua casa

PIPELINE É UMA COISA DE CINEMA

O surgimento de Pipeline parece um filme. Aliás, foi através de um que o pico ficou conhecido. Mas antes de chegarmos a Pipeline, na década de 50, o filmmaker Bruce Brown se uniu a dois surfistas (Robert August e Mike Hynson) para encontrar a onda perfeita. E, pelo vídeo abaixo, dá pra dizer que Cabo de Saint Francis encontraram a onda: 

No entanto, ao chegar em uma das regiões mais pobres da África do Sul, demandava muito mais do que vontade. Faltavam meios para chegar lá. Dessa forma, o conceito de ‘onda perfeita’ nasceu com o filme e cresceu no imaginário de muita gente na década de 60. 

Após o encontro em "The Endless Summer", o diretor continuou a procura da perfeição em forma de ondas. Em seu quarto filme, o “Surfing Hollow Days” (Surfando em Dias Cavados ou uma brincadeira com o holydays, feriados em inglês). Brown e um dos melhores surfistas da época, Phil Edwards, foram atrás de uma boa onda. Dessa vez, nada de longboards com passeios entre as sessões da onda. O surfista americano foi atrás de ondas grandes e rápidas, com as novas pranchas de foam.  Ao chegar em Pipeline, Phil encontrou uma construção próximo a praia e alguns encanamentos expostos. Ao ver o cilindro que Pipeline formava, ele não teve dúvidas: deu a praia o nome de Pipeline, imagem retratada no filme (no 1h05min): 

A evolução do surfe tinha acabado de lançar as ‘pranchinhas’ e Phil Edwards aparece em uma cena entubando uma parede de 3 metros! Você tem ideia do que era isso pro mundo do surfe? 

No entanto, assim como na África, a onda perfeita no Havaí tinha um ‘porém’. É disso que falaremos amanhã e aqui, no serieaofundo.com/noticias